Setor de Estratégias Digitais da Rede Amazônica

Criada há mais de 45 anos, a Rede Amazônica é uma rede de televisão regional com sede na capital amazonense, e é o maior grupo de comunicação da região Norte do país com mais de 13 emissoras afiliadas à Rede Globo de Televisão, em cinco estados: Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Sua emissora oficial no estado é a TV Amazonas.

Devido à mudança na forma de buscar informações e interagir do público, o grupo passou a sentir a necessidade de um setor estratégico responsável por essa interação, foi quando em torno do ano de 2015 foi implantado o ‘Setor de Estratégias Digitais’, com o objetivo de potencializar a audiência dos programas e apresentadores através das redes. O setor teve como idealizador, Luiz Eduardo Leal, também idealizador do ‘Trânsito Manaus’.

Foto: Reprodução/Instagram

Segundo Luiz, o setor foi criado para uma melhor comunicação com o público de internet: “a forma de interação e busca de informações das pessoas está mudando, então criamos o setor exclusivamente para pensar e agir em redes. Hoje, administramos redes como LinkedIn, Facebook, Instagram, Twitter e analisamos métricas relacionadas à interação com o público, como hashtags, etc.”.

De acordo com Luciano Nogueira, supervisor de estratégias digitais da Rede, no início era utilizada a estratégia de, 30 minutos antes dos telejornais dos estados começarem, tanto a primeira quanto a segunda edição, eram reunidas e postadas na página oficial da Rede, chamadas dos apresentadores convidando o público a assistirem as edições.

Com o passar do tempo a equipe foi percebendo que não estavam tendo um bom alcance e engajamento com esse método, foi quando começaram a separar essas postagens por páginas específicas de cada emissora, e receberam um retorno muito melhor.

Foto: Luan Freitas

“Cada estado tem uma página no Facebook só para tratar do seu jornalismo, e aí nós tiramos da home, página geral, e jogamos nessas páginas segmentadas, onde conseguimos um retorno muito melhor. Percebemos isso principalmente nos telejornais da segunda edição, onde temos um retorno mais efetivo”, contou Nogueira.

O setor

Atualmente, conta com dois profissionais responsáveis por supervisionar e monitorar as redes sociais da Rede. Trabalham em conjunto com equipe de jornalismo, editores e redatores, onde repassam o retorno de audiência que os telejornais têm na internet, e como sugestões, a troca de informações do que está em alta no momento.

“Às vezes eles têm alguma coisa da rua, alguma matéria que eles acham que possa bombar mais pra gerar uma audiência melhor. Eles também nos pedem um reforço, seja antes ou depois do programa, e aí a nossa relação é bem assim, bem de conversa mesmo, quase que diária”, ressalta Nogueira.

Aplicativo ‘Tô na Rede’

Lançado em agosto de 2017, o aplicativo é uma ferramenta colaborativa que tem o objetivo de aproximar o telespectador, leitor e ouvinte da emissora e incentivar a integração da Amazônia, permitindo à população o envio de informações por meio de fotos e vídeos sobre algo que esteja acontecendo no lugar onde o usuário vive.

O app também é monitorado pelo setor de estratégias e coopera com o jornalismo da Rede de forma rápida e prática. Ajuda a minimizar a carga dos produtores que recebem pautas em seus e-mails, e as demandas de pessoas que vão até à sede da TV relatar denúncias, pois centraliza tudo em um só lugar. Regionalmente, cada editor e produtor consegue visualizar todas a sugestões de suas devidas regiões, e geram um feedback bacana e crescente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *