Jornal Impresso: Do Passado ao Presente

Surgimento do Jornal Impresso

  • 59 a. C. 

Acta Diurna, era uma publicação oficial do Império Romano, criado durante o governo imperial de Júlio César. Ela trazia notícias para toda a população de todos os cantos do Império.

       

Século XVIII

Os primeiros jornais surgiram em Pequim – China, sob a forma de boletins escritos à mão.

  • 1444

Tipografia é a impressão com letras móveis de metal, passou a ser utilizada em meados do século XV. Gutenberg é considerado o pai da tipografia. A prensa, inventada em 1444. Entre 1444 e 1447 Gutenberg imprimiu o “Juizo final” de 74 páginas.

         

  • 1447

A prensa, inventada por Johann Gutenberg, inaugurou a Era do jornal moderno.

  • 1556

O governo veneziano publicou o Notizie scritte, pelo qual os leitores pagavam com uma pequena moeda conhecida como “gazeta”.

  • Século XVII

Na metade do século os jornais começaram a surgir como publicações periódicas e frequentes.

Os primeiros jornais modernos foram produto de países da Europa ocidental, como:

1609 – Alemanha, que publicou o Avisa Relation oder Zeiturg.

1616 – Bélgica, Nieuwe Tijdingen.

1631- França, Gazette.

1655 – Foi fundado, ainda hoje publicado como diário oficial do Judiciário, na Inglaterra, o Lodon Gazette.

1766 – A Suécia tornou-se o primeiro país a aprovar a lei que protegia a liberdade de imprensa.

1844 – A invenção do telégrafo transformou a imprensa escrita.

1870 – O primeiro jornal diário japonês, o Yokohama Mainichi Shimbun, (embora a imprensa de linotipo só tenha sido levada ao Japão em fins do século XVI)

Entre 1890 e 1920 – Período conhecido como “anos dourados” da mídia, os barões da mídia como William Randolph Hearst, Joseph Pulitzer, e Lorde Northcliffe construíram gigantescos impérios editorais.

Chegada do Jornal Impresso no Brasil 

A imprensa oficial no Brasil foi instalada na casa de Antônio de Araújo, futuro conde da Barca. Tiveram início em 10 de setembro de 1808, como resultado de uma confusa fuga de Portugal: a vinda da corte de D. João VI para o Brasil, na pressa de escapar das tropas francesas, trouxe o prelo e a tipografia, mas não uma sustentabilidade para o desenvolvimento do jornal.

A Gazeta do Rio de janeiro é fundada em 10 de setembro de 1808, foi o primeiro jornal impresso no Brasil. Seu lançamento marca o início da imprensa no país.

(…) Alguns meses antes de o governo português publicar seu jornal, Hipólito José da Costa lançou o Correio Braziliense, em primeiro de julho de 1808, impresso em Londres e trazido clandestinamente para o Brasil. Este jornal tinha caráter ideológico, sua função era “evidenciar os defeitos administrativos do Brasil”, como dizia Hipólito. A Gazeta deixou de circular em 1822, com a Independência.

                    

 

 Impresso Amazonense 

Em 03 de maio de 1851, o Cinco de Setembro, é lançado em Manaus, é então o primeiro jornal impresso periódico lançado. Possuía o conceito áulico, linha essa que predominava no Brasil daquela época, quando se publicava somente atos governamentais. Vale lembrar que a grande maioria da população naquela época não falava o português ainda, e sim o Nheengatu, língua geral amazônica. Porém uma parcela significativa de portugueses residiam na então recém-criada província do Amazonas.

A História do Diário do Amazonas 

No início, em meados dos anos 1980, o DIÁRIO DO AMAZONAS surgiu como um jornal focado nos interesses mais comunitários. Em 15 de março de 1985, surgia um veículo alternativo, que se propunha a expor os problemas mais imediatos dos leitores e que se identificava com as camadas mais populares da capital do Estado. Seu criador o empresário Cassiano Cirilo Anunciação Batará.

       Cassiano Cirilo Anunciação Batará 

Com uma nova proposta editorial o Diário consolidou um público que estava longe dos veículos de comunicação impresso de Manaus. No ano 2000, o Diário inova com um novo projeto gráfico e editorial, sendo essa sua mais importante mudança. O jornal começou a incluir também assuntos de interesses variados incluindo economia e política.

Consolidado do mercado de Jornal impresso, o DIÁRIO se filiou ao Instituto Verificador de Circulação (IVC), que audita os maiores jornais do País, passando a ser o primeiro veículo impresso da região a ter a sua tiragem atestada de 12.000 diárias, variando aos domingos podendo chegar aos 28.000.

Nessa trajetória de sucesso, o DIÁRIO construiu as bases para o que hoje é a Rede Diário de Comunicação (RDC). Além dele, a Rede é formada pelo jornal DEZ Minutos, líder absoluto em seu segmento, também auditado pelo IVC, pelo Portal de notícias D24am.com, com audiência superior ao da concorrência, e pela Record News, (canal 36 aberto e o 23 na Net) que em breve estará com sua programação local no ar.

   

 

 

 

 

 

by

Leandro Amador Reis

Lídia da Costa Oliveira

Mhayane Karolyne Soares

Mairo da Silva Queiroz

Marlivia da Silva Dias

Natanael Gama de Araújo

Sergilane Azevedo Venâncio

 

 

One thought on “Jornal Impresso: Do Passado ao Presente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *