Minha querida, mamãe!

No artigo dessa semana trago uma pequena reflexão através de uma carta baseada em uma história real. A carta é de uma pessoa que perdeu sua mãe e apesar de ter aceitado a perda, não conseguiu superar a falta que essa mãe faz ao seu lado. Mas que também sirva de reflexão para quem ainda tem a sua, e que possa valoriza-la ainda mais.

Minha querida, mamãe!

Dia das mães chegando e eu não poderia deixar essa data passar em branco, embora seja, suspeita para falar dessa data, afinal sou mãe e filha. E ser mãe no meu ver é uma das dádivas mais lindas que existem.

Carta para uma mãe…                                                                           

Oi, mãe! Hoje é mais um dia daqueles que todos se reúnem em família para comemorar o dia de todas as mães, um dia mais que merecido. Todo mundo feliz, alegre, em harmonia, relembrando aqueles momentos engraçados que toda família tem.

Eu deveria estar contente por essas pessoas como a senhora sempre me ensinou: “que devemos ficar felizes ao ver as pessoas alegres”.  Me desculpa, mãe! e perdoa a minha desobediência. Mas eu não consigo! não consigo ficar feliz sem a sua presença aqui, desde que você se foi… a vida não foi a mesma, minha alegria, o meu riso, a minha vontade de viver foram diminuindo.

Ah, mãe! como eu sinto falta do teu colo, dos teus abraços que pareciam acabar com todas as dores do mundo, que me acalmava quando pensava que o meu mundo iria desabar, de todos aqueles conselhos, brigas e puxões de orelha que eu achava chato, porém já sabia decorado, de quando a senhora fazia a minha comida favorita só para tornar meus dias mais saborosos, de todas aquelas as suas preces que fazia antes de eu sair de casa para algum lugar…  E também de todos outros momentos que você estava sempre ao meu lado.

Você, me ensinou algumas regras da vida, desde os primeiros passos estava ali sempre me levantando e torcendo por mim, você foi a minha melhor torcedora, você me ensinou quase tudo da vida, só não me ensinou como sobreviver sem tua ausência, não deixou claro que um dia você teria que partir… para nunca mais voltar! E eu teria que aprender a sobreviver sem o teu amor, sem o seu cuidado, sem sua proteção…

Mas não fica triste e nem se sinta culpada, você não tem culpa, mãe. Deus precisou de você e quis você aí ao lado dele e você teve que ir, apenas obedeceu às regras de Deus. Eu procuro aceitar, mas não é fácil.Eu só queria ter tido a oportunidade de dizer mais uma vez o quanto você foi importante na minha vida, eu te amo, queria falar todas essas coisas te abraçando e olhando nos seus olhos, queria também que soubesse o quanto de ti ficou em mim, sei que onde estiver estará olhando por mim, saiba que não que não passo um dia sem pensar em você.  Eu te amarei eternamente …minha querida, mamãe.

 

PS: Com amor, sua filha!

 

Quem dera que por um descuido a nossa mãe fosse eterna, seria perfeito! Mas infelizmente não é bem assim. Então, o que podemos fazer enquanto isso é dá valor a elas. Amar, abraçar, respeitar, cuidar, ajudar, tentar obedecer, entre outras coisas que podemos fazer em demonstrar sentimentos. Sua mãe é única! Valorize isso.

Desejo um Feliz dias mães a todos e não esquecendo aqueles pais que também fazem esse papel. Vocês são incríveis <3

A família Dialog não poderia deixar essa data passar em branco, pensando nisso fizemos uma pequena homenagem ao Dia das Mães, em especial os leitores: Dandara Chaves, Karen Almeida e Roberto Costa, que perderam suas mães, mas que apesar disso continuam vivas em suas memórias. Confira! https://www.youtube.com/watch?v=tozWlF1Hc9A&feature=youtu.be

One thought on “Minha querida, mamãe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *