A história do Brasil em abril

Dia do Exército brasileiro, Inconfidência Mineira, dia do Índio e Descobrimento do Brasil, o mês de abril está recheado de datas comemorativas que contam parte da história brasileira. No último dia 22 de abril foi comemorado o Descobrimento do Brasil, na verdade comemora-se a chegada dos navegadores portugueses em 1500, às terras ameríndias, porque os índios já habitavam este lugar. Segundo estudos existiam, aproximadamente, cinco milhões de indígenas naquela época.

Na história dos conquistadores o descobridor foi Pedro Álvares Cabral, português que comandava a expedição que encontrou o território brasileiro. Agora vamos parar e imaginar o encontro desses povos? De um lado os portugueses com os costumes totalmente diferentes dos nativos e de outro lado os índios em sua forma mais primitiva, um verdadeiro choque cultural. Os objetos, animais, metais e roupas causaram estranhamento aos nativos.

A ambição transformou o interesse dos colonizadores, que antes era catequizar e depois se apossaram das matérias-primas do país, como o pau-brasil, tornando o índio fortemente escravizado. Os portugueses procuravam às Índias e acabaram encontrando os índios, daí o nome. Eles se depararam com o litoral brasileiro, o que hoje é o estado da Bahia. O primeiro nome do Brasil foi terras de Vera Cruz, fazendo alusão à cruz da Ordem de Cristo, que as caravelas capitaneadas por Cabral ostentavam em suas velas.

O Brasil é uma terra miscigenada, cultura de negros, portugueses, espanhóis, índios. Um país que abriga todos os povos e todas as raças. E se a história fosse diferente? E se realmente os portugueses apenas tivessem catequizado nossos indígenas? A verdade é que os menos favorecidos pela “história” sempre serão lembrados como coadjuvantes de uma história que é nossa, onde deveriam ser os protagonistas, porque ela é minha, é sua, é de todo povo brasileiro, uma nação deslumbrada pelos costumes “brancos” e esquecendo a verdadeira origem de sua nação.

Por Rodrigo Ribeiro

Imagem Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *